Olá tudo bem?
Criamos uma campanha para arrecadar fundos para nosso projeto "Energia fotovoltaica para irrigar o Nordeste" e sua colaboração é essencial.
Estamos criando uma Fundação para viabilizar o fornecimento de água a custo compatível, a partir da energia fotovoltaica, nas áreas mais secas do Nordeste, a qual aceitará doações tanto em dinheiro ou materiais, como em trabalho. Isso permitiria à região deixar de ser “a coitadinha do Brasil”.
Ainda que haja em execução a conhecida Transposição do São Francisco, de iniciativa do governo federal, que custou uma fábula de dinheiro, sabe-se que entrega uma quantidade de água limitada pela porcentagem sobre o curso do rio, e tem levantado alguns protestos.
Este projeto, por seu lado, pretende levar a água por uma distancia bem menor (em torno de 300 km desde o litoral, contra os 700 km da Transposição), e a vazão de água calculada seria significativamente maior (35 m3 contra 26,4 m3). A água seria dessalinizada em uma usina junto ao litoral, e bombeada até o sertão do Nordeste em um aqueduto de aproximadamente 300 km, com energia transmitida em um conjunto de torres de alta tensão isolada da rede. Ainda assim, o custo total seria significativamente menor, conforme orçamento detalhado.
Ainda que os números do projeto mereçam um recálculo por profissionais especializados, cremos haver suficiente grau de viabilidade para iniciar um processo de discussão social, porque propiciaria uma mudança gigantesca na vida da população mais carente, e a dinamização de toda economia da região. Inclusive aceitaremos a doação do trabalho dos profissionais que se disponham a revisar e recalcular esse orçamento; é importante para melhorar nossa credibilidade.
Este contato visa convidar pessoas de diferentes segmentos para conhecer detalhes do projeto, e eventualmente juntarem-se ao esforço de reunir recursos para sua viabilização.
Nessa primeira fase, faremos uma apresentação inicial de seus objetivos, tentando modelar e estabelecer junto a órgãos públicos e entidades da sociedade civil parcerias que visem garantir a sua realização, sem violar a legislação vigente, mas afirmando o seu enorme alcance social e a sua imperiosa necessidade. Também será discutida a necessidade da contratação de um Estudo de Viabilidade.
Os gastos dessa primeira etapa da campanha referem-se somente a passagem, estadia e alimentação nas cidades em que acontecerão as apresentações: Recife, Salvador, Maceió, Aracaju, João Pessoa, Natal, Fortaleza e Teresina, e mais algumas cidades onde houver manifesto interesse (talvez São Luis e Palmas); também material impresso, e algum outro item eventualmente necessário. Será tentado sediar esses eventos em órgãos públicos, para reduzir custos – se não for possível, será necessário alugar algum espaço.
Numa segunda etapa, a campanha pretende levantar fundos para custear o Estudo de Viabilidade, para ajustar ou confirmar os parâmetros do orçamento básico. A seguir, será iniciada outra campanha de um ano para comprar uma área em local a ser escolhido para instalação da usina fotovoltaica, e alguns itens para uma instalação inicial. Uma quarta e última campanha servirá para custear os valores restantes para conclusão do projeto. Estas duas últimas terão um prazo bem maior, e serão realizadas através de um website próprio.
Para todas as etapas, está prevista a prestação de contas mensal e pública, inclusive por força de lei, disponível na web. Aos membros da Fundação seria imputada somente a responsabilidade de eleger sua diretoria, um compromisso claro de divulgar somente informações verídicas, e atribuir diretrizes e metas de desempenho, sem outra responsabilidade. Isso porque espera-se que se engajem pessoas de diferentes estados. Está prevista a possibilidade de que possam visitar as instalações para acompanhar o bom gasto do dinheiro, e a disponibilização periódica de fotografias no site para acompanhamento por parte da sociedade civil, e de relatórios detalhados mensais.
Também será discutida a possibilidade de cooperação com o poder público para sua realização. Lembrando que sendo de interesse nacional, não haverá prioridade de um estado em relação a outro no fornecimento da água; inclusive o aqueduto teria possivelmente de atravessar fronteiras estaduais.
A princípio, estamos marcando para daqui a aproximadamente 60/90 dias, uma primeira exposição pública dos detalhes do projeto em Recife, em local a ser divulgado oportunamente. Em dias subsequentes, com intervalo estimado de 2 a 3 dias, o evento será replicado nas cidades seguintes, para que mais pessoas possam tomar conhecimento e eventualmente somar esforços para sua realização. A cada dia, durante esta campanha, irei discorrer sobre detalhes e aspectos do projeto que destacam sua necessidade, complexidade e viabilidade. Não deixe de acompanhar.
Caso saiba de mais alguém que possa se interessar, favor repassar a mensagem.
Maiores detalhes em: Aguas Acima – Energia fotovoltaica para irrigar o Nordeste
P/ contribuir: criacao da Fundacao Aguas Acima | Crowdfunding + Financiamento Coletivo benfeito e na Benfeitoria
Conto com o apoio de vocês! Afinal serão necessárias em torno de 200 pessoas só na fotovoltaica !
Abraços,
Rui Svensson Fonseca